No meio do caminho

Depois de decidir-me entre o dilema de voltar ao Brasil em seguida a participar de uma Feira de negócios em Santiago do Chile ou permanecer por lá mais um tempo, a convite de uma empresária, fiquei com a segunda opção. Mais um tempo naquele país tão lindo e agradável seria ótimo.

De carro e após passar a semana com muitas atividades, viajava para conhecer os arredores da Capital. Aprendi a prender correntes nos pneus para subir as montanhas enquanto nevava. Fui a pequenos pueblos em busca de inusitados museus, restaurantes singulares e qualquer outra aventura que me permitissem conhecer um pouco mais do Chile, sem ir tão longe.
Numa certa sexta feira decidi-me a ir a Viña del Mar e Valparaiso, afinal tais cidades são muito famosas e deviam ter lá seus encantos. Queria voltar ao Brasil trazendo na bagagem também esta lembrança.

Destemida como sempre – até eu que dê de cara com o perigo – viajava admirando a paisagem, tranquilamente. Estrada boa, dia ensolarado apesar do frio. Freei de repente! A entrada de um túnel! Cá entre nós: não sou tatu! Só ando de metro como última opção. E acho inadmissível eu ser obrigada a atravessar um túnel. Deveria haver sempre o plano B.

Neste caso não havia. Eu estava só. Estrada vazia: Ruta 68; túnel Lo Prado.

Se eu fosse católica teria feito o sinal da cruz e seguido adiante. Como não sou, respirei fundo e considerei o que valia mais a pena. Pensei algumas centenas de metros e chego à outra extremidade. Como a estrada fazia uma leve curva, tornava-se impossível ver seu fim.

Lá fui eu.
Suando frio, andei, andei, andei, andei, andei e nada de chegar o fim do túnel. Comecei a considerar voltar. Como sabia ser loucura continuei. Mais de 3.000 metros. Longos 3.000 metros. Quando avistei a saída, comemorei! Logo junto ao final do túnel, um posto policial. Ainda trêmula estacionei e fui consultar o policial de plantão sobre alternativa de estrada – sem túnel – para eu retornar a Santiago dias depois. Ele confirmou o que eu temia: não havia! Expliquei minha preocupação. Ele gentilmente perguntou quando eu pretendia voltar e diante da minha resposta disse que deixaria informado no posto que um policial pudesse me acompanhar na volta. Agradeci e segui viagem.

Valparaíso e Viña Del Mar são deliciosos balneários. O povo simpático, a comida e o vinho estupendos.

Considerei arrumar um novo emprego ficar morando por lá à ter que enfrentar aquele túnel novamente.



11 comentários:

Anônimo disse...

Karina, vale a pena enfrentar o túnel novamente!! Pense nos encantos de Valparaíso e Viña de Mar...garanto que você mudará de ideia!! Beijo grande, Ingrid Morandian

elsa disse...

hahaha !! gostei da aventura !
è verdade, "Valpo" (como la llaman los chilenos) e Viña sao uma maravilla...
quand reviens-tu au Chili ? tu sais qu'une maison t'attends dans la montagne... ainsi qu'en France, chère amie.
nos vemos pronto !...
con cariño, avec tendresse,
su Elsa

Anônimo disse...

Enfrento sempre meus medos!
Ainda mais por uma paisagem tão linda, gente tão especial. Comida e bebida maravilhosas.
Elsa em breve!!
Beijos a todos

Karina

Anônimo disse...

Feliz ano novo!!!!
Adorei os textos!!! (INCLUIR)
Beijos

Anete Rezak

Gisele disse...

Adorei sua visita em meu blog...
e fiquei feliz com sua opinião...
Tbm gostei muito da forma como escreves...
Sempre quiz conhecer o Chile...e amo viajar...mas ainda... "ainda" não saí do Brasil...mas é só uma questão de tempo...
http://poedeque.blogspot.com
Já estou te seguindo.
Beijo.
gisele.balneario@hotmail.com

Tomas disse...

Karina, com certeza enfrentar o medo nos abre portas e nos leva a novos lugares, mas, se não for possivel, neste caso, venda o carro e volte de navio até Santos ! Beijo e feliz ano novo. Tomas

Juks disse...

Bom, acredito que o ponto chave desse maravilhoso texto é "Há sempre uma luz no fim do túnel... Ou um policial." Rsrs

Ate sábado!

Bjuks

Karina Achôa disse...

Tomas
Por isso adoro gente inteligente!

Juks
Adoro gente bem humorada!

Beijos e que bom tê-los aqui

Anônimo disse...

CARAMBA!!! EU TENHO PANICO DE TUNEL...E SE É LONGO ENTAO....
MAS NAO MORA LÁ NAO...FICA AQUI MESMO....

Eliane de Aizenstein

ophyZ disse...

Acabo de descubrir o seu blog. Gostei! Vou continuar dando uma lida em tudo! Um abraço! (Sou a Sofia, filha da Eliane, da Espanha!)

Anônimo disse...

Entre e fique à vontade.

Benvinda Sofia!

Beijocas

Karina

assine o blog!

Digite seu endereço eletrônico abaixo e receba novos posts por email:

Delivered by FeedBurner

seguidores